O Lago

Há um tempo atrás eu comecei a sentir falta de algo, não sabia bem o quê. Um espaço só meu, eu concluí depois (moro numa casa com seis pessoas, então o pensamento é recorrente). Um lugar onde eu pudesse derramar todas as palavras, sentimentos e coisas que me preenchem sem fazer com que meus irmãos fiquem sugerindo, em todas as oportunidades possíveis, que eu preciso voltar pro psicólogo ou aumentar a dose do remédio. Um cantinho onde eu pudesse escrever sobre como foi o meu dia, minha semana, meu mês, por mais monótono e insignificante que tenha sido, porque pra simplesmente querer escrever não são necessários muitos pré requisitos nem uma vida das mais extraordinárias (Deus sabe que eu não tenho uma). Eu queria um espaço pra desabafar em resenhas sobre o QUÃO INCRÍVEIS foram certas leituras que tive o privilégio de fazer, e reclamar de outras que não gostei tanto assim, fazer o quê?
Um lugarzinho pra depositar algumas estórias e devaneios, divagações sobre a vida, doideiras, bobagens, coisas que de vez em quando a gente pensa, sabe?
Isso é um corvo. É sério.
Eu preciso de um blog, pensei.
Então KraheLake surgiu.
Krahe é ''corvo'' em alemão, e Lake, como você deve saber, é ''lago'' em inglês.
Não vou explicar como esse nome faz sentido pra mim (porque não preciso de mais nada que corrobore minha mangolice), nem sei bem como cheguei a ele. Veio num daqueles fluxos de pensamentos rápidos que nos acometem em um átimo, sabe? Seja como for, fiquei feliz com ele, porque KraheLake é particular e diferente, como espero que eu também seja (ilusões são de graça, afinal).
Gosto de escrever e ler é um vício. Por aqui você encontrará resenhas, divagações aleatórias, estórias pensadas por mim e relatos variados sobre meus dias não tão variados assim.
Definitivamente não criei esse blog pensando em atrair um público. Ele é feito para mim, porque quero guardar algumas palavras minhas. Mas se isso aqui servir como uma agradável distração para alguém, ficarei muitíssimo feliz em receber visitas. Não precisa limpar os pés antes de entrar; a ordem aqui é a bagunça mesmo, já que a arte imita a vida.
Serei sincera dizendo que provavelmente você não encontrará entre minhas palavras nada de importância muito relevante e imprescindível para a sua vida... Serei mais sincera ainda ao admitir que essa última frase foi um eufemismo; esse blog é ridiculamente inútil. Mas isso não faz com que essas linhas percam o significado que elas têm para mim.
Krahelake existe porque preciso escrever, mas isso não significa que alguém precise ler.
De qualquer forma, seja bem-vindo(a).
Espero que goste de algo por aqui ou que eu, no mínimo, não te deixe com vontade de morrer. :]

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Eu provavelmente vou amar qualquer coisa que você comentar, das obras-primas às porcarias, e sempre respondo, então volte aqui pra ler. Obrigada, mesmo. :)